O futuro da Amazônia pós saída dos militares

Com a saída dos militares há somente duas semanas atrás, fica a grande dúvida de como será o futuro desse ecossistema tão importante para as nossa vidas (fato esse em que muitos infelizmente não acreditam).

Como foi discutido no post "Como ficará a fiscalização na Amazônia?", o Governo Federal tinha uma data limite para os militares permanecerem em atividade no combate ao desmatamento e às queimadas na Amazônia, porém nada ainda foi falado sobre o próximo plano para conter tais atrocidades, as quais, como vemos, somente estão crescendo. Uma prova disso é, de acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), a quebra de mais um recorde de desmatamentos dentro da série histórica: os desmatamentos no mês de Abril, tendo sido mais de 580,55 km² de área devastada, superaram o recorde de 2016.


Desmatamentos na Amazônia

Hoje, em um pronunciamento, o representante de assuntos climáticos nos EUA John Kerry afirmou que o país está disposto em conversar com o Brasil sobre medidas para conter o desmatamento na Amazônia, mas, ainda segundo ele, as atitudes que estão sendo tomadas pelo Governo não estão em nada ajudando nessa situação, mas estão somente agravando-a devido às últimas mudanças nas regulamentações ambientais.

Após isso ter sido dito, é fato que o que todo brasileiro de sã consciência quer é que o Governo Federal cumpra seu papel e pare de brincar com o futuro da Amazônia, pois a falta de competência não pode em hipótese alguma destruir um espaço tão vital e repleto de vida que é a Amazônia.

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo